A arte em pessoa

0
307

Para fazer jus ao tema central de 2015 e inspirar o público, o comitê de criação do CONARH preparou uma série de intervenções artísticas. “Contemplar e explorar uma obra de arte são atividades diretamente conectadas com o ato de aprender a pensar, analisar, sentir e interpretar”, contextualiza Ricardo Mota, coordenador da área de tecnologia e entretenimento do evento.

O objetivo de despertar essa dinâmica nos participantes começa logo na entrada: para ter acesso ao pavilhão, o público passa por um túnel, onde encontrará uma exposição de quadros de diferentes artistas. O último quadro terá apenas a moldura para que as pessoas possam fazer selfies, se integrem ao cenário e transformem sua participação em arte.

Em outro momento, na abertura de cada palestra magna, através de música, tecnologia e diferentes competências, o grupo Ares fará apresentações criativas de dança e integração com os congressistas. Já antes das simultâneas, em vídeos de 30 segundos, artistas vão dar sua visão do que é arte e mostrar como ela pode ser agregada às organizações.

Enquanto isso, na EXPO ABRH, os visitantes encontrarão uma tela, inicialmente em branco, para interagirem na criação de uma obra de arte coletiva.

“Até no aplicativo do CONARH trazemos arte e tecnologia. E, ao baixarem o programa, junto com as informações sobre o evento, as pessoas incluem seus dados básicos, como nome, cargo, empresa, que ficarão arquivados em uma lista. Quando fizerem networking, poderão selecionar seu interlocutor e se conectar com ele. Quanto mais conexões, mais pontos serão acumulados para concorrer a um sorteio ao final do CONARH. Além disso, com o app, os congressistas poderão interagir nas palestras, fazendo perguntas ou avaliando seu conteúdo”, finaliza Mota. Isso tudo sem falar das surpresas que estão sendo preparadas e só serão conhecidas, claro, durante o evento.

comentários