Como crescer na carreira de RH?

0
6256
Como crescer na carreira de RH / Crédito: iStockphoto
Crédito: iStockphoto

Um estudo recente realizado pela consultoria Carreira Muller com mais de três mil profissionais de RH trouxe um panorama geral dos gestores de pessoas no Brasil e, entre os comparativos, esteve o de cargos versus idade, mostrando que os profissionais em nível de assistentes possuem idade média entre 18 e 25 anos (56,25%). Já os analistas (30,66%) e os de nível de coordenação (25,49%) são um pouco mais velhos, com idade entre 31 e 35 anos. Os especialistas na área estão entre 36 e 40 anos (23,81%) e os supervisores entre 31 e 35 anos (31,58%). Entre gerentes e diretores a faixa etária fica entre 46 a 50 anos, sendo 34,48% diretores e 22,32% gerentes. Nesse panorama fica claro a evolução profissional dos RHs e qual é sua jornada no quesito carreira.

Para os novatos
Para aqueles que desejam ingressar na área, uma das melhores formas de começar é em consultorias de recrutamento e seleção que, segundo Brenda Wilbert, gerente de RH da Souza Cruz, oferecem possibilidades bem interessantes e claras oportunidades de crescimento. “Em empresas (multinacionais ou empresas locais), existem chances de ingressar em diferentes funções de recursos humanos, sejam funções mais especialistas ou generalistas.”

A RH aconselha ainda que outra forma de ingressar na gestão de pessoas é por meio de empresas júnior, existentes em diversas universidades. “Lá o estudante tem um primeiro contato com as principais ferramentas de gestão de pessoas e isso pode ser um diferencial em futuros processos seletivos.”

Já Alexandre Ullmann, diretor de recursos humanos do LinkedIn Brasil e América Latina acredita que o melhor caminho seja através do estágio. “Estudantes podem começar na área por meio do estágio, que geralmente permite conhecer um pouco de cada subdivisão da área. Caso o profissional já tenha concluído o curso superior, pode exercer funções mais táticas até conhecer melhor cada disciplina. Áreas como recrutamento, treinamento, e funções que vão do operacional ao estratégico são boas opções.”

Veteranos
Após o período de aprendizado e experiência técnica os gestores passam a seguir uma vertente mais estratégica, trazendo para organização conceitos mais abrangentes da área. É aí que o RH pode escolher entre uma carreira de especialista ou generalista, como explica Ullmann. “Geralmente é mais fácil começar por uma área específica como remuneração, benefícios, recrutamento e desenvolvimento organizacional e, após ingressar em uma dessas áreas o profissional pode optar por se especializar e crescer como especialista (gerente de Benefícios, diretor de Recrutamento & Seleção) ou poderá conhecer um pouco de cada área e se tornar um generalista”.

Para Brenda, uma forma de crescer e se desenvolver na carreira é a partir de uma experiência internacional, seja por meio da participação em um projeto envolvendo outros países ou uma movimentação para o exterior. “Isso faz com que o profissional de RH consiga ter uma visão de projetos globais, inclusive com o impacto em diferentes regiões e culturas do mundo. Nas multinacionais, trabalhar no exterior pode ser uma oportunidade de ampliar não só conhecimentos técnicos, mas principalmente desenvolver habilidades de gestão e o relacionamento interpessoal.”

Aprendizado
No que diz respeito à formação acadêmica, boa parte dos gestores são graduados em administração e/ou psicologia, mas por ser uma área muito abrangente, encontramos profissionais das áreas de comunicação e de exatas, engenheiros, economistas e pedagogos que também se destacam como bons RHs. Normalmente esses profissionais realizam diversas especializações, MBAs e treinamentos para dar suporte na área.

Já para aqueles que já atuam na área, o investimento em formações e especializações é primordial. Elas são importantes para suprir necessidades individuais e, entre as alternativas estão um MBA em gestão de negócios, MBA em RH, cursos de liderança ou de especialização em remuneração, recrutamento e seleção, desenvolvimento, entre outros.

comentários