Como manter equipes engajadas e comprometidas?

0
2847

LIDERAR NA CRISE

Contar com um plano contingencial e com uma comunicação eficiente ajuda, e muito, a missão dos líderes.

Crise.indd

Em situações de crise, é natural que as pessoas que trabalham com você se sintam inseguras e frágeis diante das incertezas quanto ao futuro, influenciadas por fatores internos e externos à empresa. E isso se aplica também a líderes como você, que percebem que o controle das variáveis que impactam seus resultados e suas perspectivas foge ao seu controle.

Instala-se um clima muito ruim nas organizações, alimentado pela circulação de informações e de previsões que apontam para desdobramentos que ameaçam, muitas vezes, não apenas a prosperidade do negócio, mas a própria sobrevivência da empresa e dos postos de trabalho por ela gerados. Num contexto como esse, alguns cuidados e movimentos são fundamentais para que você, como líder, consiga manter seus liderados engajados e comprometidos.

O primeiro aspecto que devemos lembrar é que, para atravessar momentos de adversidades e ameaças, as pessoas e as empresas precisam de planos contingenciais. Para se legitimar em seu papel e inspirar confiança em sua equipe, você precisa ter um plano e uma estratégia realistas, indicando os movimentos e ajustes que deverão ser feitos e monitorados o tempo todo, de forma a garantir a travessia dos tempos difíceis. Aliás, isso é o que os liderados e todas as partes interessadas no negócio mais esperam da liderança.

O segundo aspecto que destacamos se refere à comunicação. Não é por acaso que muitas empresas, em situações de crise, contratam especialistas em comunicação para as apoiarem no gerenciamento da situação, de forma a evitar que seus trabalhadores e as demais partes interessadas no negócio se sintam apavoradas com as especulações que normalmente se espalham como um rastro de pólvora. É natural que todos se sintam confusos e ameaçados. E, numa situação como essas, o que se espera de líderes como você é que sejam capazes de organizar e compartilhar informações objetivas e convincentes, com as quais as pessoas possam melhor entender e avaliar o que está acontecendo.

Você precisa manter-se o tempo todo informado sobre o que está acontecendo dentro e fora da empresa, para poder oferecer orientação e segurança para sua equipe. E deve organizar uma estratégia e uma agenda para comunicar o que está acontecendo, de forma a conter o ambiente especulativo e legitimar seu papel de âncora de sua equipe. As informações compartilhadas com a equipe precisam retratar, da maneira mais transparente possível, as ameaças e adversidades que estão sendo enfrentadas e como a organização está agindo para enfrentá-las.

Um outro movimento necessário do líder é a construção de um diálogo individual com seus liderados. É hora de dedicar tempo e presença para compreender como a situação de crise está afetando de forma específica os membros da equipe, e qual a leitura que cada um faz da situação e de seus impactos em suas vidas. Ao fazer isso, você estará demonstrando sensibilidade e compreensão, num momento crucial da vida das pessoas, mostrando-se solidário e disposto a ajudá-las na superação de suas dificuldades específicas. Esse gesto pode ser fundamental e muito impactante na construção de um clima de maior confiança e lealdade.

Você não precisa e não deve fazer falsas promessas nessa hora. Ao contrário, suas conversas devem ser abertas e honestas, de forma a aproximá-lo das pessoas cujo apoio é fundamental para que sua empresa – o que inclui você e seus liderados – possa fazer a travessia e chegar a um novo momento de prosperidade e crescimento.

 

*Rafael Sanches, pela equipe do Instituto Vida e Carreira

comentários