Comunicação para quebrar paradigmas

0
779

GIRO | MUDANÇAS | Edição 342

O agravamento da crise econômica e a falta de perspectiva de retomada de crescimento levam muitas empresas a reduzirem investimentos e a fazerem mudanças significativas nos processos de trabalho, envolvendo funcionários, estratégias, layout etc. Essas modificações exigem um alinhamento na comunicação entre todos os envolvidos, para contornar as resistências naturais.

De acordo com a coach Eliana Dutra, CEO da Pro-Fit, recentes dados divulgados no mundo corporativo preveem cortes de bilhões de reais em 2016, o que pode gerar um clima de tensão tanto nos líderes quanto nos funcionários e resistências aos processos de mudança.“Isso é perfeitamente normal, pois a natureza humana estranha tudo que é novo”, explica Eliana, acrescentando que tudo isso não só atrapalha a produtividade como também gera aumento de custos e de retrabalho.

Segundo ela, para isso, é fundamental evitar a falta de comunicação ou o diálogo unilateral, pois sem a participação dos funcionários, não é possível fazer a mudança. “Por exemplo: quando uma empresa decide uma alteração do seu layout, muitos questionam por que mudar se tudo estava bem como antes. Dessa forma, é fundamental que o gestor transmita informação sobre as mudanças de forma estruturada, clara e direta, explicando o papel de cada um no novo escopo de trabalho e, principalmente a razão de ser da mudança”, afirma, acrescentando que a visão que os funcionários têm para a organização não deve ser subestimada.

 Mais conselhos
A especialista alerta, ainda, que não basta apenas passar a informação para os colaboradores com as alterações que serão feitas, sejam de processos ou estrutura. É necessário atenção também com a forma de comunicar, ou seja, garantir que o veículo, a linguagem e o momento sejam adequados para que os funcionários entendam a mensagem e que haja espaço para a discussão de forma que não haja margem para dúvidas. “Os setores responsáveis pela comunicação das empresas precisam se reinventar, utilizando novas ferramentas tecnológicas de diálogo, como as mídias sociais, e um discurso de mão dupla para que ambos os lados, líder e empregados, tenham o poder da palavra”, diz.
.
Por fim, a coach ressalta que é possível perceber que a comunicação atingiu o seu objetivo quando a equipe começa a enxergar a mudança da mesma forma que seu líder, entendendo que as modificações são necessárias e seus motivos. “Quando se atinge esse nível de compreensão, os colaboradores ampliam a visão que têm da empresa e dos negócios e há um aumento significativo no engajamento”, conclui.

 

comentários