Conarh 2016 cuidados estratégicos

0
1037

Saúde, bem-estar e produtividade sem esvaziar o caixa

A velocidade do mundo digital e as incertezas trazidas por crises nos campos social, econômico e político têm abalado sistematicamente a saúde física e mental das pessoas. Na mesma proporção, os custos para recuperá-la estão cada vez mais altos. Quanto e como a empresa deve investir para equilibrar o bem-estar e a produtividade dos colaboradores sem prejudicar a saúde financeira dos negócios? Resolver essa equação é um dos grandes desafios do mundo corporativo e transforma a gestão da saúde em prioridade das organizações.

Dada a importância do assunto, o 42º Congresso Nacional sobre Gestão de Pessoas (CONARH 2016), que a ABRH-Brasil vai realizar de 15 a 18 de agosto, no Transamerica Expo Center, em São Paulo, terá parte de sua programação reservada para tratar da saúde nas empresas e seus diferentes aspectos. Confira:

Por que os indivíduos adoecem nas organizações?
A desconexão dos propósitos das organizações com os propósitos dos colaboradores leva as pessoas ao descrédito e desencanto com o trabalho, à falta de perspectivas e a doenças físicas e psíquicas. No palco do CONARH, João Roncati, sócio-diretor da consultoria People+Strategy, e Lia Diskin, cofundadora da Palas Athena, vão provocar a reflexão sobre a importância da construção de propósitos conjuntos, nos quais as organizações possam engajar seus colaboradores pela identidade de interesses na geração de valor social e de perspectivas de um futuro melhor.

Saúde, produtividade e felicidade
Quando se pensa em felicidade no trabalho, logo vêm à cabeça um ótimo cargo e uma excelente remuneração. Entretanto, a fórmula que nos faz acordar feliz, com brilhos nos olhos e garra para trabalhar é bem mais complexa; envolve a atenção à saúde dentro e fora do expediente. Guilherme Furtado, médico consultor da TV Globo e também consultor e apresentador do Canal Futura, levará ao público dicas que vão fazer a diferença no dia a dia dos congressistas.

O custo da doença mental para a economia e para a empresa
Transtornos de ansiedade e depressão são as maiores causas de queda de produtividade no trabalho. Para agravar a situação, por mais avanços conquistados nesse campo, mais de 50% das depressões não são diagnosticadas nos dias atuais. O grande desafio está em detectar os casos ocultos e tratá-los de forma eficaz para restituir às pessoas sua capacidade plena para o trabalho e para a vida de uma forma mais ampla. Esse será o tema do médico Wagner Gattaz, presidente do Conselho Diretor do Instituto de Psiquiatria (IPq) do Hospital das Clínicas.

Como driblar seus custos de saúde
Não é novidade que a saúde dos colaboradores está fundamentalmente associada à sustentabilidade das organizações. No entanto, o cenário de crise atual tem aumentado a pressão pela redução dos custos, podendo impactar o bem-estar dos colaboradores. Thomaz Menezes, cofundador e CEO da It’s Seg Consultoria de Benefícios, vai orientar as empresas sobre como é possível diminuir os custos de saúde sem sacrificar os colaboradores.

Desafio dos planos de saúde nas empresas – Extensão do benefício
Os planos de saúde empresariais respondem por mais de 60% do total do mercado de saúde suplementar. Com a crise financeira do país, cresceu o número de empregados demitidos e muitos deles têm o direito de manutenção do plano de saúde empresarial após o término do vínculo de emprego. Théra De Marchi, sócia do escritório Pinheiro Neto Advogados, e Rodrigo Araújo, fundador da Araújo, Conforti e Jonhsson Advogados Associados, vão esclarecer sobre o que diz a lei e como se comportam os tribunais diante desse tema.

PARTICIPAÇÃO INTERNACIONAL
Colaboradores mais felizes, empresas mais produtivas
O que é felicidade e quais são seus benefícios pessoais e para a empresa? Essa é uma das perguntas a serem respondidas por Nicole Fuentes, assessora perita em Psicologia Positiva do Departamento de Educação Executiva da Universidad de Monterrey (México), onde também dá aulas de Ciência da Felicidade. Nos últimos 16 anos, ela realizou trabalhos de pesquisa sobre bem-estar e felicidade no México, em níveis estadual e nacional. Além disso, faz parte da equipe de performance habits da consultoria The Edge, onde atua com o objetivo de melhorar os indicadores de gestão das empresas através do bem-estar emocional dos empregados. A palestra é patrocinada pelo Itaú Unibanco.

CASES
Como prevenir e enfrentar as questões mentais e emocionais na empresa
Apesar de os impactos do estresse excessivo serem amplamente conhecidos, ainda é difícil encontrar empresas no Brasil cujas iniciativas vão além de atividades informativas ou pontuais, como palestras e massagem. Um case real sobre gerenciamento do estresse será compartilhado por Sergio Geraldo Matoso de Lima, gerente de RH da Sincol, e Alberto Ogata, consultor em saúde e bem-estar. Basta dizer que, a partir da implantação do programa, o número de colaboradores que se declararam sem estresse aumentou de 1,10% para 58,3%.

Manter o equilíbrio e foco da atenção em ambientes de incerteza e complexidade
A revolução tecnológica acelera dia a dia a frequência e o volume das informações geradas e compartilhadas pelas pessoas. Um dos impactos já notados desse movimento é o aumento da complexidade e das incertezas, o que pode afetar a tomada de decisão nas organizações. Cristina Aiach Weiss, diretora de RH para América Latina do Deutsche Bank, vai dar detalhes da experiência da empresa com a utilização da meditação Mindfulness como ferramenta para manter o equilíbrio e o foco dos colaboradores.

comentários