Destaque ao desenvolvimento de pessoas

0
873

Quais as práticas de liderança na gestão imobiliária? Qual a contribuição do endomarketing na perspectiva da educação para a gestão sustentável? Essas foram algumas das reflexões a partir das quais surgiram pesquisas e cases vencedores da edição deste ano do Prêmio Ser Humano Oswaldo Checchia, instituído pela ABRH-Brasil em 1993.

Ao longo desses anos, o prêmio se consolidou como instrumento de valorização das melhores iniciativas dedicadas ao desenvolvimento das pessoas dentro e fora das organizações, assim como de estímulos ao pensamento criativo e identificação de novos talentos. O nome do Prêmio é uma homenagem a Oswaldo Checchia, um dos fundadores da ABRH-Brasil e grande articulador para o reconhecimento da área de Recursos Humanos como estratégica nas organizações.

Entre essas ações está um projeto que tem como objetivo trocar resíduos recicláveis por bônus na fatura de energia elétrica, com a destinação desse material para a indústria de reciclagem no Maranhão; há também um conjunto de ações de incentivo à leitura de funcionários de diversos níveis em uma empresa, bem como de seus familiares; um projeto de capacitação de pessoal operacional por meio de um curso desenvolvido pelos próprios colegas mais seniores; e um programa que fomenta a prevenção de doenças e a promoção de saúde e qualidade de vida junto a comunidades escolares.

São iniciativas vencedoras que poderão ter seus resumos conferidos nas próximas páginas e que foram anunciadas na festa de comemoração dos 50 anos da ABRH-Brasil, em agosto, durante a realização do 41° CONARH.

GESTÃO DE PESSOAS – EMPRESA 
Ouro

â–º Projeto Facilitadores: multiplicando conhecimento, gerando resultados
Itapoá Terminais Portuários (Itapoá – SC)

O Ouro na modalidade Gestão de Pessoas – Empresa ficou com a Itapoá Terminais Portuários, representada por Samuel da Silva Pereira Francisco, supervisor de Desenvolvimento de Pessoas da empresa. Quem entregou o prêmio foi Elaine Saad, vice-presidente da ABRH-Brasil

Aliar a necessidade do negócio e oportunidade de desenvolvimento. Foi com esse objetivo que o Porto Itapoá criou o projeto Facilitadores: multiplicando conhecimento, gerando resultados. O projeto foca a capacitação técnica do quadro de colaboradores operacionais por meio de cursos desenvolvidos pelos próprios colegas seniores.

A ideia foi criada a partir da formação de um grupo de facilitadores oriundos da área operacional da empresa. Existente desde 2011, no decorrer dos anos o projeto foi aprimorado e, atualmente, conta com 20 facilitadores.

Vale ressaltar que, com o andamento do projeto, pôde-se observar um relevante aumento no nível de produtividade operacional, motivado tanto pelo treinamento prático in loco, quanto pela visualização da oportunidade de desenvolvimento por parte dos colaboradores em treinamento.

Dentre os resultados práticos, ressaltam-se a redução da contratação de mão de obra externa para vagas de operador de equipamentos; a criação de banco de talentos para aproveitamento interno (99% de aproveitamento para vagas operacionais); e aumento do índice de satisfação/engajamento dos colaboradores, além da redução de custo com contratações externas de empresas de capacitação técnica.

A partir do projeto foi possível construir um banco de talentos internos para os vários níveis da empresa, bem como promover 116 colaboradores para a operação de equipamentos, um dos cargos operacionais mais visados no Terminal.

Contato: samuel.francisco@portoitapoa.com.br


Prata

â–º Ler no trabalho é legal: o estímulo à leitura como fator de desenvolvimento humano
ICQL Química (Duque de Caxias – RJ)

 

Representando a ICQL Química, Ana Maria de Andrade Leite, gerente de Comunicação e Responsabilidade Social, comemorou o prêmio Prata com Paulo Sardinha, presidente da ABRH-RJ

Durante as atividades do dia a dia e em processos seletivos, a ICQL Química observou dificuldades de leitura e escrita em colaboradores de diferentes níveis hierárquicos, dos cargos operacionais aos cargos de liderança. Essa defasagem, decorrente de falhas da educação básica, foi diagnosticada como um dos principais obstáculos ao crescimento.

A empresa passou a realizar ações de incentivo à leitura e escrita, proporcionando um ambiente educativo no trabalho, propício não somente à continuidade da qualificação profissional, como à formação do hábito da leitura e do prazer em ler.

O programa atende aos colaboradores internos, familiares e comunidade local, a partir de ações simples e de baixo investimento, que podem ser replicadas em empresas de qualquer porte ou segmento. O case demonstra a relação direta entre as competências de leitura e escrita e a elevação do nível de comunicação, produtividade, escolaridade, melhoria contínua, cultura da qualidade, autoestima e motivação.

Desde a sua implantação, em 2005, o programa apresenta resultados quantitativos e qualitativos, monitorados por indicadores de desempenho. Logo nos dois primeiros anos, registrou-se crescimento de 54% em vendas e, ao longo dos últimos dez anos, a ICQL é reconhecida nacionalmente por prêmios de qualidade, competitividade, gestão de pessoas e responsabilidade social, tornando-se uma referência em sua área de atuação.

Contato: comunicacao.social@icql.com.br


Bronze

â–º Comitê de Calibragem e Sucessão
CPFL Energia (Campinas – SP)

Também na modalidade Gestão de Pessoas – Empresa, a CPFL Energia ficou com o Bronze. Mônica de Oliveira Rocha, gerente de Desenvolvimento de Pessoas da empresa, recebeu o prêmio do presidente da ABRH-SP, Almiro dos Reis Neto

Em 2012, a CPFL Energia chegou aos seus cem anos considerada como uma das maiores empresas do setor elétrico brasileiro. Com o objetivo de trazer efetividade em gestão de pessoas e gestão da performance, o Grupo CPFL Energia implantou, no mesmo ano, o Comitê de Calibragem e Sucessão. Trata-se de uma reunião estruturada, realizada anualmente, que promove reflexões e análises sobre o potencial e a performance de lideranças de forma colegiada, objetiva e eficaz, sendo conduzida por mediador.

A metodologia consiste na combinação de ferramentas de avaliação que, após reflexões colegiadas, permitem o posicionamento do avaliado na Matriz de Talentos (diagrama que considera duas dimensões: potencial e performance), além da definição de Mapa de Sucessão.

Essa prática passou a ser direcionadora para a tomada de decisão e fornece subsídios para desenvolvimento, movimentação, sucessão, remuneração e retenção. A iniciativa foi bem recebida pela organização e o processo está consolidado.

Em 2014, a CPFL realizou o terceiro ciclo de Comitês, com a avaliação de lideranças das empresas controladas do Grupo CPFL Energia das regiões Sudeste e Sul do Brasil. Foram realizados 32 comitês, com 284 lideranças avaliadas. Como resultado desse processo, no mesmo ano, 82% das vagas executivo-gerenciais foram preenchidas internamente, reafirmando que a prática do comitê busca a sustentabilidade da organização.

Contato: monica@cpfl.com.br

 

GESTÃO DE PESSOAS – PROFISSIONAL 

Ouro

â–º Leitura: fator de inclusão social de alunos com deficiência visual
Dinorá Couto Cançado (Brasília – DF)

 

Dinorá Couto Cançado (ao centro), Ouro na Modalidade Gestão de Pessoas – Profissional, recebeu o prêmio de Bruno Goytisolo, vice-presidente da ABRH-DF, e Leyla Nascimento, presidente da ABRH-Brasil.

A prática de ler como hábito adquirido, que prepara o indivíduo para entender e fazer-se entender, no mundo, é ferramenta poderosa e necessária que precisa ser disseminada. Se esse indivíduo for um deficiente visual, maior é a importância da prática para que se lhe abram oportunidades de uma vida com mais cidadania e transformação social.

O relato de experiência vivenciada pela Biblioteca Braille Dorina Nowill, em Taguatinga, no Distrito Federal, demonstrou que a leitura está presente entre seus frequentadores. A pesquisa foi, então, deflagrada para investigar o problema: a aquisição do hábito constitui fator de inclusão social?

Nesse case, que acabou virando uma pesquisa científica sobre o dia a dia da biblioteca, foi verificado o desenvolvimento da leitura dos deficientes visuais, vendo suas habilidades de apresentações nas diversas linguagens artísticas, sua compreensão leitora, o quanto a leitura contribui na vida do leitor e constatando a mágica da leitura com a arte de colaborar para a inclusão social.

Desse público-alvo, muitos frequentam a Biblioteca Braille, outros cursam escolas regulares, com educação inclusiva. O estudo utilizou-se de questionários, observações, conversas e histórias de vida. Pelas dicas de leituras, depoimentos de 46 pesquisados e histórias de vida, concluiu-se, de acordo com a amostragem, que a leitura é um fator de inclusão social essencial para pessoas com deficiência visual.

Contato: dinoracouto@gmail.com

 

GESTÃO DE PESSOAS – ACADÊMICA – PÓS-GRADUAÇÃO 

Ouro

â–º Endomarketing na perspectiva da educação para gestão sustentável: um estudo de caso JBR Engenharia
Rosana Silva Freire (Recife – PE)

 

Rosana Silva Freire comemora o Ouro na categoria Acadêmica juntamente com Larissa Lins, presidente da ABRH-PE

O trabalho de pesquisa se baseou em um estudo de caso que procurou investigar a contribuição do endomarketing na perspectiva da educação para a gestão sustentável. A literatura, que traz associações entre endomarketing e educação para gestão sustentável, é escassa e a relação de endomarketing e gestão sustentável é praticamente ausente. Dessa forma, tornou-se um desafio e uma oportunidade para outros estudos.

Por meio de procedimentos qualitativo e exploratório, valendo-se de entrevistas on-line, presencial, análise documental e análise de conteúdo, foram abordados os stakeholders da JBR Engenharia, empresa privada, cujas atividades econômicas principais estão relacionadas aos estudos, projetos e planejamento, gerenciamento e supervisão de obras. A análise do conteúdo revelou a contribuição do endomarketing na perspectiva da educação para a gestão sustentável.

Durante o aprofundamento da pesquisa, também se alcançou o entendimento de que, sem ação interna, as empresas não conseguirão atingir uma gestão voltada para sustentabilidade, assim como o envolvimento dos stakeholders externos.

Os resultados da pesquisa contribuem para o estudo teórico do endomarketing associado à gestão sustentável. Estudos futuros sobre essa temática poderão revelar ainda mais as potencialidades do endomarketing como proposta de gestão de pessoas, através da educação, e torná-lo reconhecidamente estratégico para uma gestão empresarial que quer se tornar sustentável.

Contato: rosanafreire.rh@gmail.com


Prata

â–º Práticas de liderança na gestão imobiliária
Luciano de Santana Medeiros (João Pessoa – PB)
 

A presidente da ABRH-Brasil, Leyla Nascimento, entregou o prêmio Prata a Maria da Penha Silva dos Santos, presidente da ABRH-PB. Ela representou Luciano de Santana Medeiros, que não pôde estar presente

O tema foi escolhido em virtude do interesse do pesquisador a respeito da temática da liderança e levada para o contexto da gestão imobiliária, visto que esse campo de pesquisa configura-se familiar, uma vez que o autor acumula experiência profissional nesse segmento, além de publicações e prêmios.

Como objetivo principal, o estudo visou a investigar as práticas de liderança adotadas por um gestor imobiliário de acordo com o modelo das cinco práticas de liderança exemplar proposto por Kouzes e Posner (2013). Por meio de um estudo de caso, investigaram-se as práticas de liderança do gestor/proprietário da imobiliária Execut, localizada na cidade de João Pessoa, na Paraíba, atuante no mercado paraibano há 25 anos.

O trabalho é classificado como descritivo, enquadrando-se nos estudos quantitativos. No total, além do gestor, foram pesquisados 55 empregados. Os dados foram obtidos por meio de dois questionários, um deles elaborado pelo pesquisador e o outro desenvolvido pelos autores Kouzes e Posner (2013), intitulado Inventário das Práticas de Liderança (LPI), nas versões de autoavaliação e heteroavaliação.

De acordo com os resultados, a prática “inspire uma visão comum” foi a mais bem avaliada, e a prática “anime os corações” obteve a menor avaliação, tanto na autoavaliação do gestor, quanto na heteroavaliação dos empregados.

Contato: lucianosmedeiros@uol.com.br

 

DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL E RESPONSABILIDADE SOCIAL – EMPRESA 

Ouro

â–º Projeto Ecocemar
Companhia Energética do Maranhão (São Luís – MA)
 

Na modalidade Desenvolvimento Sustentável e Responsabilidade Social – Empresa, Carla Medrado, diretora de Gente e Gestão da Companhia Energética do Maranhão, recebeu o prêmio Ouro de Edilson Mariano Lira, presidente da ABRH-MA

O projeto Ecocemar, que acolhe mais adeptos a cada dia, tem como objetivo trocar resíduos recicláveis por bônus na fatura de energia elétrica, com a destinação do material à indústria de reciclagem em parceria com empresas maranhenses. Também contribui com o meio ambiente e ajuda a reduzir o valor da conta de energia, já que o cliente recebe o bônus referente ao valor do material reciclável de acordo com a quantidade e o tipo de material entregue no posto de coleta.

Trabalhar com o destino responsável do material à indústria de reciclagem também promove a conscientização ambiental por meio da coleta seletiva. Mas o Ecocemar vai além com o projeto de cuidar de pessoas por meio de doações para instituições sociais.

A lógica do projeto, que é regulado pelo Programa de Eficiência Energética da Aneel, é que a energia empregada para reciclar é muito menor do que a empregada para extrair matéria-prima bruta da natureza.

Ao todo, já foram recicladas aproximadamente 10 mil toneladas de resíduos e doados R$ 530.512,60 em bônus para clientes e entidades. O que significa mais de 255 mil árvores não cortadas e a economia de mais de 204 m³ de água, 40.558 MWh de energia e de mais de 1.000 kg de minério de ferro.

Contato: imprensa@cemar-ma.com.br
www.cemar116.com.br/fale-com-a-cemar


Prata

â–º Quando a gente faz o bem, o bem volta
Embratec – Ecofrotas, Ecobenefícios e Expers (Porto Alegre – RS)

 

A Prata ficou com Rosimeri Dalagnol Severo, diretora de Desenvolvimento Humano e Organizacional da Embratec. Orian Kubaski, presidente da ABRH-RS, entregou o prêmio

 

A Embratec vive um momento especial de amadurecimento do seu posicionamento de sustentabilidade, inovando por meio do seu modelo de fazer negócios. Em 2013, aprofundou sua estratégia de sustentabilidade, tornando a eficiência o atributo mais valioso e como quer ser percebida por seus públicos.

O trabalho de significância da sustentabilidade resultou no seu posicionamento para o mercado “Gestão eficiente para o bem de todos” e na construção da plataforma de sustentabilidade.

O case descreveu a campanha de comunicação Quando a gente faz o bem, o bem volta, criada para engajar os colaboradores de forma clara e humana ao novo posicionamento – traduzir que eficiência é a causa da empresa e a essência do negócio. Como resultado, a Pesquisa de Clima 2013 mostrou a adesão ao novo posicionamento, com 81,7% afirmando conhecer a estratégia de sustentabilidade.

Outro indicador de destaque foi o que mede a evolução da competência de sustentabilidade. A empresa evoluiu seu Índice de Prontidão em 10,4% (o índice mede o quanto as pessoas estão prontas na competência). Ciente do quanto indicadores concretos e alinhados ao negócio são importantes para um RH estratégico, foi implantado, há cerca de cinco anos, um dashboard contendo mais de 20 indicadores de gestão de pessoas, com o compromisso de seu aprimoramento constante.

Contato: rosimeri.severo@embratec.com.br


Bronze

â–º Programa Unimed Vida
Unimed Litoral Cooperativa de Trabalho Médico (Itajaí – SC)

Sabrina de Moura Machado (à dir.), analista de Responsabilidade Social da Unimed Litoral,recebeu o prêmio Bronze das mãos de Luzia Fröhlich, presidente da ABRH-SC

O Programa Unimed Vida, atualmente chamado Viver Bem na Escola, passou de um programa estadual entre as Unimeds de Santa Catarina para um programa nacional junto à Unimed Brasil. O case premiado trabalhou também a promoção da saúde do professor.

O objetivo do programa é estimular ações educativas para a prevenção e promoção da saúde e da qualidade de vida em comunidades escolares e está alinhado aos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio da ONU.

As experiências adquiridas pelo aluno e as reflexões que ele fará durante o período escolar são cruciais para a construção de seus valores na vida adulta. Desenvolvido para estimular a integração e propor discussões de assuntos importantes através de capacitações e outras atividades, o Unimed Vida propicia muitas dicas e trocas de experiências, contemplando a formação de agentes multiplicadores de conhecimentos.

A construção da Horta Ecológica e a inserção de conceitos sobre educação ambiental aos alunos também se mostrou uma estratégia de destaque na escola.

De acordo com o depoimento da supervisora escolar Márcia Eliane Coelho, a parceria tem propiciado aprendizagens significativas aos alunos e está ultrapassando os muros da escola, sendo incorporada à rotina familiar.

Contato: sabrina.machado@unimedlitoral.com.br

 

DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL E RESPONSABILIDADE SOCIAL –
ORGANIZAÇÃO DO TERCEIRO SETOR 

Ouro

â–º Projeto Juventude Empreendedora
Instituto de Desenvolvimento do Trabalho (Fortaleza – CE)

Antonio Gilvan Mendes de Oliveira, presidente do Instituto de Desenvolvimento do Trabalho, ficou com o prêmio Ouro na modalidade Desenvolvimento Sustentável e Responsabilidade Social – Organização do Terceiro Setor, entregue por Jidlafe Rosa Rodrigues, presidente da ABRH-CE

O Projeto Juventude Empreendedora, criado pelo Instituto de Desenvolvimento do Trabalho e financiado pelo Governo do Estado do Ceará, por meio da Secretaria de Trabalho e Desenvolvimento Social, tem como foco a qualificação profissional, visando a dar resposta às demandas sociais referentes ao desemprego juvenil, que crescia a cada ano em virtude das novas exigências do mercado.

Viu-se, então, a necessidade de capacitar o jovem para o empreendedorismo, com foco não no empreendedor como proprietário do negócio, mas o reconhecendo como agente de transformação de sua realidade e da sociedade onde vive.

Tendo como principal premissa a formação pessoal, social e profissional do jovem, é baseado na aprendizagem teórico-vivencial, por meio de atividades analítico-reflexivas, em 540 horas/aula, distribuídas em onze módulos capazes de estimular no jovem o autoconhecimento, o fortalecimento dos vínculos familiares, a abertura ao diálogo, a ampliação do senso de responsabilidade para a resolução de problemas e a apropriação da realidade socioeconômica do município. Durante todo o projeto, o jovem é acompanhado por uma equipe multidisciplinar.

Em oito edições já realizadas, o projeto contemplou 73 municípios cearenses, totalizando 3.748 participantes, com idade de 17 a 24 anos, inserindo 1.123 jovens no mercado de trabalho. Neste ano de 2015, o Juventude Empreendedora beneficiará mais 18 municípios e 900 educandos.

Contato: suzana@idt.org.br
idt@idt.org.br


Prata

â–º Projetos de nutrição e segurança alimentar
Banco de Alimentos do Rio Grande do Sul (Porto Alegre – RS)

Pedro Fagherazzi, presidente do Conselho Deliberativo da ABRH-Brasil, premiou Denise Zaffari, coordenadora do Curso de Nutrição e do Projeto Social de Extensão Banco de Alimentos e Universidade do Vale do Rio dos Sinos – Unisinos, vencedora Prata

No Brasil, entre os fatores de risco para a ocorrência de doenças crônicas não transmissíveis, inclui-se a alimentação inadequada, que contribui de forma significativa para o aumento da prevalência do excesso de peso, inclusive em crianças e adolescentes.

O Banco de Alimentos do Rio Grande do Sul está diretamente envolvido na problemática da Segurança Alimentar e na redução da fome e do desperdício de alimentos a partir de dois focos de atuação: a doação de alimentos e o desenvolvimento de projetos de nutrição e segurança alimentar, levando mais saúde e bem-estar para pessoas atendidas nas instituições.

Os projetos Nutrindo o Amanhã e Oficina do Sabor, desenvolvidos no Banco de Alimentos, têm como objetivo a promoção de saúde, a prevenção de doenças e a melhoria da qualidade de vida dos usuários que recebem as doações.

Ambos apresentam resultados que se refletem na melhoria dos hábitos alimentares das crianças e adolescentes nas 113 instituições atendidas.

A avaliação nutricional de 10.188 pessoas permitiu a identificação do diagnóstico nutricional e o planejamento e execução de 790 intervenções nutricionais e 156 oficinas culinárias, desenvolvidas por 267 acadêmicos dos cursos de nutrição e gastronomia que atuaram nos projetos, melhorando a saúde e a qualidade de vida de crianças e adolescentes.

Contato: paola.monti@fiergs.org.br
www.bancossociais.org.br
www.bancodealimentosrs.org.br


Bronze

â–º Programa de educação pela cultura: educação integral em tempo integral
Instituto Alpargatas (João Pessoa – PB)

Bronze na modalidade Desenvolvimento Sustentável e Responsabilidade Social – Organização do Terceiro Setor, José Berivaldo Torres Araújo, diretor executivo do Instituto Alpargatas, recebeu o reconhecimento de Maria da Penha Silva dos Santos, presidente da ABRH-PB

O programa partiu do princípio de que a educação integral diz respeito à integralidade do sujeito e propõe trabalhar com o ser humano de forma mais ampla, criativa e inovadora. O conceito de educação integral vai além dos aspectos da racionalidade ou cognição. A educação pela cultura é uma nova metodologia para essa abordagem.

Realizar esse programa utilizando o viés das culturas afro e indígena brasileiras em sua metodologia é uma resposta às demandas de públicos diferenciados que, comprometidos com o processo educacional, reagem à necessidade de um aprendizado que valorize conceitos e conteúdos formais, e que, dinamicamente, trabalhe a interlocução de componentes atitudinais, culturais e reais dos sujeitos envolvidos/autores de seu processo educativo.

Os primeiros resultados já aparecem no despertar do interesse dos alunos pela cultura brasileira, no aprimorar de suas habilidades artísticas/culturais, na promoção da consciência cidadã, no fortalecimento da relação da escola com a comunidade e da política de educação em tempo integral.

A atratividade das aulas se formalizou pela diminuição da evasão, participação ativa nas atividades, melhoria do desempenho dos alunos e pelo aumento do Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica) em todas as escolas envolvidas. A gestão escolar e o desempenho docente também foram constatados pelas conquistas dos prêmios Professor Nota 10 e Gestão Nota 10.

Contato: jbaraujo@alpargatas.com.br
ritac@alpargatas.com.br

 

comentários