É hora de pensar no envelhecimento

0
314

Em março, nestas páginas da MELHOR, a ABRH-Brasil colocou no centro das atenções um tema ainda pouco tratado nas empresas: o envelhecimento ativo, ou seja, a promoção de oportunidades de saúde com o objetivo de aumentar a qualidade de vida das pessoas conforme elas envelhecem.

Além de uma ampla matéria publicada na revista, em seu site, a associação perguntou aos internautas, por meio de uma enquete, sobre sua visão a respeito do tema. Como resposta, foram oferecidas três alternativas: 1) o assunto ainda é pouco divulgado e demandará um longo prazo para resultados, pois exige uma grande mudança de cultura; 2) esse assunto não é prioridade ante as demandas mais urgentes das empresas, como economia em declínio e falta de profissionais qualificados; 3) o envelhecimento da força de trabalho é fato. As empresas precisam considerar o tema com urgência como fonte de perenidade dos negócios.

Para Jorgete Leite Lemos, diretora de Diversidade da ABRH-Brasil, o resultado pode ser considerado animador, uma vez que a maioria dos respondentes, 54,7%, reconheceu a urgência do tema. Apenas 13,2% dos participantes acreditam que o assunto não é prioridade e 32,1%, que é pouco divulgado e demandará longo prazo para dar resultados.

 

Janela de oportunidades

Ainda que incipiente, o tema demanda que as empresas adotem ações na área de gestão de pessoas. “Certamente, essa questão não é para ser tratada com a emoção”, orienta a diretora da ABRH-Brasil. Basta a constatação objetiva de diversos estudos, um deles mencionado na citada matéria da MELHOR de março, que prevê: em 2050, haverá 2 bilhões de pessoas idosas no mundo, 22% da população global. Pela primeira vez serão mais idosos que crianças.

A questão do envelhecimento, diz ela, vem atrelada a doenças e perda de status, de papéis e de respeito, e está presa a estereótipos e preconceitos. Por isso, entre algumas ações que o RH pode desenvolver, a ABRH recomenda: um estudo do perfil demográfico da organização, com a formulação de diagnóstico; preparação da organização para a realidade identificada no estudo, com a sensibilização da alta direção e dos gestores; e, por fim, incentivo ao engajamento da força de trabalho.

“E isso principalmente visando aos jovens, para que eles possam usufruir de uma oportunidade que as gerações anteriores não tiveram: preparar-se para um envelhecimento saudável e entendê-lo como um componente importante de sua felicidade”, conclui Jorgete.

 

 

 SECCIONAIS

Congresso no Ceará e em Santa Catarina

Nos dias 14 e 15 de abril, a ABRH-CE realizará o CEARÁ RH 2015 – Congresso de Gestão de Pessoas & ExpoRH. O evento acontece na Fábrica de Negócios, em Fortaleza, sob o tema RH e negócios – uma causa e grandes efeitos.

Já em Santa Catarina, a ABRH-SC escolheu a cidade de Joinville para abrigar, nos dias 16 e 17, a 25ª edição do CONCARH – Congresso Catarinense de Recursos Humanos. O evento acontece no Expoville sob o tema LideRHação – transformando pessoas e organizações.

Mais informações:

www.abrhce.com.br e www.abrhsc.org.br

 

comentários