A Geração Z e a comunicação na nuvem

    0
    892

    A Geração Z, nascida entre 1996 e 2010, tem pavimentado o seu caminho há alguns anos. Eles são cerca de 60 milhões, um milhão a mais do que os Millennials. Espera-se que seu número e incursão no mercado de trabalho afete o comportamento de gestão e de consumo a partir de agora, principalmente no que se refere à gestão de pessoas, processos, segurança e ao uso mobile.

    Segundo a BroadSoft – atuante no mercado de comunicações unificadas em nuvem para o mercado corporativo – o momento agora é das empresas se prepararem para atender a estes novos colaboradores que irão requerer disruptividade em sua forma de trabalhar.

    Para a companhia americana, se o futuro é móvel, a comunicação unificada segura na nuvem – ou seja, todos os processos de comunicação unificados e disponíveis em qualquer lugar do mundo de qualquer dispositivo – é, provavelmente, um futuro real para esta geração.

    Apenas um clique para uma chamada de videoconferência
    Uma pessoa está em movimento, seja no carro, num trem ou em um aeroporto, e há uma teleconferência que ela não pode perder. Então, a pessoa gasta alguns minutos para achar em sua agenda ou bolsa o número e o código de conferência. Se ela só tem o seu celular, então precisa encontrar um pedaço de papel e uma caneta e escrever esses números. E tudo isso antes mesmo de discar.

    Este é um relato comum de se ouvir no ambiente corporativo. Por isso, a fim de melhorar esta experiência do usuário em movimento, a BroadSoft lançou no mercado dois novos aplicativos móveis que endereçam este problema. “Estima-se que mais de um terço das reuniões começam atrasadas. Queremos que as pessoas sejam tão produtivas quando estão no celular como em sua mesa. A realidade é que a maioria de nós gasta uma grande parte do nosso dia fora do escritório. Na verdade, os números mais recentes sugerem que 50% dos trabalhadores agora usam seu celular como dispositivo principal”, explica o Vice Presidente para América Latina e Caribe, Hector Sanchez.

    Otimizado para a experiência móvel, o UC-One Connect possibilita levar o escritório onde quer que o usuário vá, permitindo-lhe conversar, verificar a disponibilidade de seus colegas e chamá-los usando uma ID empresarial – um código numérico individual para cada um dos colaboradores – a partir de dispositivos móveis pessoais da Apple ou Android.

    Já o UC-OneMeet economiza tempo e agrega conveniência, permitindo ao usuário se juntar a uma teleconferência com apenas um toque do seu celular, também usando a sua ID empresarial.

    “O principal objetivo no desenvolvimento destes novos aplicativos foi abordar dois problemas de comunicação chave enfrentados quando as pessoas estão em movimento”, conclui o Vice Presidente para América Latina e Caribe, Hector Sanchez.

    Ambos os aplicativos devem estar disponíveis no mercado brasileiro a partir de 2017 e serão comercializados pelas principais operadoras de telecomunicações brasileiras.

    Entendendo a Geração Z
    Embora um grupo de 60 milhões não seja suscetível de seguir um único modelo na força de trabalho, algumas tendências surgem no horizonte. Primeiro, a abordagem à tecnologia. Uma característica usada com freqüência para Millennials é “nativo digital”. Eles foram a primeira geração a ter crescido em um mundo digital. Isso é ainda mais verdadeiro na Geração Z: eles são nativos da era digital avançada e de sua proliferação sem fim.

    “Eles são duas vezes mais propensos a usar dispositivos móveis sobre PCs ou laptops do que gerações anteriores. Além disso, conscientes das preocupações de privacidade, eles são muito mais propensos a usar plataformas cujas mensagens evaporam pouco depois de serem enviadas”, explica o Vice Presidente para América Latina e Caribe, Hector Sanchez.

    A Geração Z também é produto de um movimento tecnológico que permite a realização de tarefas fora de um local específico. Mais de metade prefere trabalhar em casa, o que reforça a necessidade e a importância de existir tecnologia, processos e culturas adaptadas a esta nova forma de trabalho.

    De acordo com pesquisa realizadacom mais de 4.000 trabalhadores de 10 mercados globais diferentes entre os dias 22 de junho e 11 de julho de 2016 pela empresa de recursos humanos Randstad, da Holanda, em parceria com a empresa de estratégia de marketing Millennial Branding, sediada em Londres, para19,1% dos jovens o mais importante é a flexibilidade, no que se refere ao ambiente de trabalho.

    comentários