Gestão de pessoas na era de incertezas

0
379
Fernando Pinto Lima é diretor de RH e Planejamento da ESPN e coordenador do eixo Incertezas do CONARH 2015

Dificilmente hoje conseguimos encontrar alguma empresa, seja qual for o seu tamanho e segmento de atuação, que não esteja vivendo grande pressão. A instabilidade econômica impactou as projeções de receita e as organizações devem necessariamente se reinventar. Nesse cenário, a gestão de pessoas adquire grande relevância, uma vez que, com toda a certeza, terão resultados melhores e mais sustentáveis as empresas que conseguirem conciliar pragmatismo e senso de urgência com criatividade e fortalecimento da essência.

Ao definir como tema A arte da gestão de pessoas – Desafios, incertezas e complexidade, o CONARH 2015 busca provocar reflexões que nos ajudem a transitar nesse ambiente. Assim como os eixos Complexidade e Desafios, no eixo Incertezas buscamos diferentes olhares, reunindo tanto palestrantes que tragam uma macrovisão como os que terão abordagens de temas específicos da área.

Já no primeiro dia, contamos com um palestrante de ouro: o excepcional técnico da seleção brasileira de vôlei, Bernardinho, certamente nos inspirará em como atingir resultados através das pessoas em momentos de grande competitividade.

Como já é tradição, contamos com um excelente palestrante internacional, o professor do Insead, pesquisador e consultor organizacional Joe Santos, que tratará do relevo atual e das implicações do tema “emergente” no âmbito global, dos mercados e das economias. Além disso, analisará o impacto e os desafios trazidos pelo “emergente” na gestão das empresas e como os profissionais e gestores de RH podem fomentar sua compreensão e contribuir na preparação das pessoas e das organizações.

Para uma reflexão sobre o cenário econômico, o economista e apresentador do programa Conta Corrente, da GloboNews, Dony De Nuccio, discutirá temas como expectativas para os próximos anos e alternativas de estratégias. De Nuccio fará análises e inusitadas comparações internacionais, trazendo reflexões de como as empresas podem sair fortalecidas da turbulência atual e transformar, como ele mesmo coloca, “o limão da crise em uma caipirinha para os negócios”.

Não podíamos deixar de tocar num tema complexo e de grande impacto nas organizações: a relação entre empresas, sindicatos e governo. Para abordá-lo de maneira direta, a mesa Momento de dialogar ainda mais reunirá Arthur Henrique dos Santos, secretário do Desenvolvimento, Trabalho e Empreendedorismo da Prefeitura de São Paulo e ex-presidente da CUT, com importante trajetória no movimento sindical, e o acadêmico Hélio Zylberstajn, professor sênior da FEA/USP.

Outro ponto que não poderia ficar de fora é liderança. Temos um painel com os heads de RH Luiz Carlos França Duarte, Alessandra Ginante e Renato Senna, em um debate intitulado A arte de liderar: para tempos incertos, líderes inquietos. Para finalizar em grande estilo, e reforçando o tema do  CONARH, o maestro, trompetista e administrador de empresas Marcelo Torres se apresentará com sua banda de jazz. Será muito interessante, pois ele faz um paralelo entre a banda e uma organização, conceituando e exemplificando musicalmente as situações que acontecem no palco e no dia a dia dos colaboradores de uma empresa.

Por trás de todas as palestras, nossa proposta é colocar luz nesse ambiente de enorme complexidade, onde sobram incertezas e não faltam desafios, levando ao público nomes que nos provoquem e inspirem a transformar as organizações.

comentários