Inteligência Artificial no ambiente de trabalho

    0
    1066

    unnamed-textoHá alguns anos, ninguém imaginaria ser possível um dia conversar com um computador capaz de entender perfeitamente a fala humana. E os romances de ficção científica sobre inteligência artificial (IA) não passavam de mera fantasia. Esse futuro porém já chegou. A IA deixou de ser um conceito distante e assistentes pessoais virtuais como a Alexa da Amazon e a Siri da Apple, ou mesmo carros que se dirigem sozinhos como os do Google ou Tesla, estão aí para mostrar que essa tecnologia está cada vez mais presente em nosso dia a dia. No Brasil, as aplicações de inteligência artificial já são bastante diversas e os jovens cientistas brasileiros são considerados internacionalmente promissores. O neurocientista Miguel Nicholelis é reconhecido em todo mundo pelo desenvolvimento do exoesqueleto humano e muito premiado por suas pesquisas sobre biotecnologia.
    Como vimos, até no Brasil a inteligência artificial já é uma realidade. Todos os dias essa tecnologia cresce, torna-se mais inteligente e cada vez mais semelhante à inteligência humana. Com tudo o que a IA pode fazer hoje, é natural perguntar-se: A inteligência artificial vai tomar o meu emprego? Não tenha medo. A inteligência artificial vai expandir o potencial humano em vez de assumir os nossos empregos. De acordo com Andy Peart de Soluções Artificiais: “Em 2020 a IA será tão crítica para os negócios do serviço ao cliente quanto o website foi há 20 anos, ou o aplicativo móvel foi há cinco anos”. Já o Gartner prevê que, até 2018, os robôs irão supervisionar mais de três milhões de trabalhadores humanos.
    Conversamos com Wagner Tadeu, gerente geral da ClickSoftware para América Latina, empresa que fornece soluções para a gestão automatizada e otimização da força de trabalho e serviços em campo, sobre a importância da Inteligência Artificial por partes das empresas, explicando que o conflito entre o ser humano e as máquinas não deve existir e que eles precisam trabalhar juntos.

    Acompanhe abaixo a entrevista com Tadeu:

    No Brasil, a IA já é uma realidade. Quais as expectativas para essa área tecnológica tão crescente?
    – Como mencionei no artigo, no Brasil as aplicações de IA já são bastante diversas e os jovens cientistas brasileiros são considerados internacionalmente promissores. As empresas brasileiras já estão se movimentando e criando ecossistemas e soluções dedicados a acelerar a adoção de inteligência artificial nas organizações. A IA tornou-se crítica para o sucesso dos negócios.
    Com tudo se modernizando e tornando-se mais tecnológico, pode-se dizer que a Inteligência Artificial vai se tornar um emprego ou uma área de empregos?
    – Dependendo da sua visão pessoal da tecnologia, você pode pensar que os computadores já substituíram seres humanos. As fábricas empregam robôs, os smartphones comunicam-se conosco, os computadores controlam armas perigosas, os carros podem se auto conduzir e assim por diante. No entanto, com toda essa complexidade da tecnologia, esses computadores e máquinas continuam a depender da criatividade e do controle humano.
    Por isso não tenha medo. A inteligência artificial vai expandir o potencial humano em vez de assumir os nossos empregos. Como abordei no artigo, segundo Andy Peart de Soluções Artificiais: “Em 2020 a IA será tão crítica para os negócios do serviço ao cliente quanto o website foi há 20 anos ou o aplicativo móvel foi há cinco anos”. Já de acordo com o Gartner, até 2018, os robôs irão supervisionar mais de três milhões de trabalhadores humanos.
    Os seres humanos podem ter medo de perder espaço no mercado de trabalho para as máquinas inteligentes?
    – Não há necessidade desse medo. A inteligência artificial não tem o toque humano. As máquinas podem nos ajudar a entender os dados, mas somente os seres humanos podem entender as pessoas em um nível emocional. E os clientes percebem quando suas interações com as empresas carecem de um elemento humano.
    É preciso acabar com a competição entre humanos e máquinas e focar no trabalho conjunto. A IA é capaz de coisas que os humanos não são – como processar grandes quantidades de dados em segundos. Entretanto, os seres humanos têm a empatia e a criatividade que as máquinas não têm. São habilidades complementares, por isso, a IA não deve substituir os seres humanos e sim expandir o seu potencial.
    O que as empresas têm a ganhar com a implantação do IA? E o que elas podem perder?
    – As soluções inteligentes tornam as empresas cada vez mais competitivas, com benefícios no que diz respeito à produtividade, retenção de talentos, redução de custos, entre outros. É seguro dizer que a maioria das pessoas aceitaria de bom grado uma ferramenta que tornasse seu trabalho mais fácil e mais gratificante. Nós da ClickSoftware acreditamos que a IA pode ajudar as pessoas a ser mais eficientes em seu trabalho sem um conflito de interesse profissional.
    – Como o IA pode favorecer a área de RH?
    – Hoje já existem softwares de gestão de Recursos Humanos e Administração de Pessoal no mercado. Esse tipo de tecnologia possui recursos de inteligência artificial é capaz de executar em minutos uma folha de pagamentos com milhares de funcionários. As ferramentas de IA são responsáveis por orientar online as tarefas que devem ser executadas no RH. Além disso, softwares de avaliação de personalidade já auxiliam a escolha de candidatos em processos de seleção. Por meio da inteligência artificial, a área de recursos humanos terá um grande salto evolutivo, com operações automatizadas, gestão colaborativa, processos otimizados, entre outros.

    comentários