Incentivar intraempreendedorismo motiva geração Y e atrai talentos

0
1289

Eles são fortemente influenciados pela instantaneidade da internet, buscam informações e vivem ávidos pelo que ainda está por vir. Essas são algumas características das pessoas nascidas entre 1982 e 2003, que integram a geração Y, conhecida pelo crescimento atrelado à tecnologia. São eles que estão criando e mudando cenários dentro das organizações.

Segundo um estudo da Future Workplace, empresa de desenvolvimento executivo, eles profissionais passam por cerca de 20 empregos na carreira para encontrar um junte responsabilidade social, feedbacks, flexibilidade, plano de carreira e dê espaço para projetos pessoais. Por isso, encontrar e manter novos talentos tem se tornado um desafio para os gestores. Para superá-lo, algumas empresas estão apostando no intraempreendedorismo.

O modelo incentiva que colaboradores trabalhem suas próprias ideias e permite que eles se dediquem a projetos pessoais durante o trabalho. Dessa forma, a expectativa dos jovens de inovar é atendida, tornando-os mais motivados e produtivos. A Santo Digital, empresa que revende e implementa aplicações corporativas do Google, permite 20% do tempo de trabalho no mês para projetos pessoais. “Quanto mais resultados ele traz para a empresa, mais liberdade tem para desenvolver suas ideias”, explica Cláudio Santos, CEO da empresa.

Para o CEO, a troca é positiva e uma forma inteligente de manter a equipe motivada, porque todas as pessoas têm sonhos, querem colocar sua cara nos projetos e conquistar coisas. Por que não incentivar que as ideias saiam do papel? Todo mundo sai ganhando. As empresas são carentes de inovação e acabam buscando soluções fora, quando têm o que precisam dentro de casa”, analisa.

E ele encontrou uma. Santos fez o investimento inicial, hoje ajuda na divulgação e no marketing e tem participação acionária no Vamos Subir, programa de recrutamento e orientação profissional direcionado a jovens. O projeto é fruto dos 20% de “tempo criativo” de Flávio Valiati, que trabalha há dois anos na Santo Digital. “Isso me trouxe a mesma independência de criação que eu teria se estivesse autônomo, mas com a vantagem de ter apoio financeiro e menos riscos”, afirma.

Apostar no intraempreendedorismo motiva geração Y e atrai talentos

comentários