O desafio do engajamento

1
4851

GIRO | PESQUISA | Edição 341

engajamento
Manter o time unido e com foco ainda é um problema em muitas empresas

As organizações poderiam atravessar melhor a crise atual do país se tivessem um alto nível de engajamento. É o que afirma Daniel Santa Cruz, sócio-diretor da Santo Caos, consultoria de engajamento, a partir de uma pesquisa feita no fim do ano passado e que revelou que 93% das grandes organizações brasileiras consideram o engajamento de funcionários e demais públicos uma prioridade para seus negócios. Ao mesmo tempo, porém, o estudo mostrou que 95% delas consideram desafiador engajar pessoas.“As empresas não sabem exatamente como promover o engajamento e precisam fazê-lo de forma urgente, pois num panorama de crise, com demissões em massa e queda nos resultados, manter os colaboradores engajados, fidelizar clientes e criar embaixadores da marca são desafios centrais para líderes corporativos”, afirma. Veja mais:

► Para muitas empresas, o engajamento ainda é visto como uma atribuição exclusiva do RH; 83% das empresas afirmam que realizam ações com essa finalidade e os exemplos mais citados foram campanhas de reconhecimento e incentivo, eventos de integração, reuniões e feedbacks. “Ações como essas são importantes, mas são apenas parte de uma estratégia de engajamento”, afirma Santa Cruz.

► A visão de que o RH é responsável pelo engajamento aparece na importância atribuída pelos participantes do estudo a cada público em relação ao tema: colaboradores em geral (26%) e gestores (23%) aparecem no topo da lista de prioridades, enquanto consumidores (22%), fornecedores (15%) e outros stakeholders externos ficam em segundo plano como foco de atenção para as ações de engajamento.

► Os desafios para engajar apontados na pesquisa foram: conscientização dos líderes (28%), falta de recursos (25%), falta de apoio interno (24%) e falta de conhecimento sobre o público (22%). De acordo com Santa Cruz, há maneiras possíveis de mudar esse quadro. “Para engajar pessoas, o primeiro passo é compreender de que forma os valores da empresa são absorvidos pelos públicos e como eles se conectam com ela. O processo deve começar pelo CEO até chegar aos demais níveis da empresa para, a partir daí, traçar estratégias para conseguir o compromisso, estimular o pertencimento, gerar o orgulho e criar embaixadores internos e externos da marca”, diz.

comentários