Placar do bem

0
738

Na Cummins foram produzidos 1.640 retalhos, o que resultou em mais de 40 colchas

“Em toda a minha carreira, nunca acreditei numa fórmula para o sucesso, meu diferencial era levantar cada dia com vontade de fazer a diferença. Por isso, meu conselho é que aproveitem muito essa oportunidade única e que, de alguma forma, vocês possam mudar a vida de alguém”, afirmou a empreendedora e fundadora da FazInova, Bel Pesce, na abertura do Programa de Voluntariado 2015 da Samsung, no Brasil.

Este ano o programa da Samsung teve como lema Construir hoje um amanhã melhor. A proposta tem a educação como plataforma para o crescimento mútuo e com o objetivo de levar inovação para as comunidades, desenvolver os participantes, e gerar oportunidades para todos.

“Nosso Programa de Voluntariado materializa a filosofia corporativa da Samsung, cujo principal objetivo com essas ações é dedicar recursos humanos e tecnológicos para melhorar a comunidade em que estamos inseridos e impactar positivamente as pessoas que nos cercam”, afirma Helvio Kanamaru, gerente sênior da área de cidadania corporativa da Samsung.

As ações acontecem de junho a novembro e contemplam jornadas culturais, gincanas esportivas, palestras vocacionais, reformas e trabalhos de construção civil. Neste ano, espera-se que cerca de 1.200 pessoas, entre crianças e adolescentes, sejam beneficiadas pelas atividades de cidadania corporativa.

Projeto Colcha de Retalhos

Entre os dias 7 e 27 de julho último, o grande público pôde observar de perto os resultados do projeto de voluntariado da Cummins South America, fabricante de motores diesel, componentes e grupos geradores, na Praça Victor Civita, na capital paulista. Liderado pela área de responsabilidade corporativa da companhia, o projeto contou com o engajamento de mais de 400 colaboradores da Cummins de diversos países, incluindo Brasil, Colômbia, Argentina e EUA.

O projeto surgiu a partir de uma visita ao Centro Municipal de Atenção à Infância e à Adolescência (Cemai), de Macaé-RJ, com o qual a Cummins Vendas e Serviços possui parceria desde 2014. Com capacidade para trinta pessoas, a instituição, que atende crianças sob tutela judicial, tinha acabado de receber novos móveis para os dormitórios e solicitou colchas para as camas.

Segundo a Cummins, a ideia foi além de simplesmente realizar a doação e, assim, surgiu o Projeto Colcha de Retalhos, ação que vai ao encontro da filosofia da empresa: desenvolver projetos sociais em parceria com a comunidade, sustentados por três pilares – educação, meio ambiente e justiça social. Ao receber um quadrado de tecido com 20 cm de medida, os colaboradores tiveram a oportunidade de soltar a criatividade junto aos familiares e amigos. Entre bordados, rendas, fuxicos, patchwork, decupagem, pinturas e colagens foram produzidos 1.640 retalhos, o que resultou em mais de 40 colchas.

“Pensando na cama como um dos poucos espaços individuais de uma criança e o local onde sonhamos, decidimos confeccionar colchas tecidas com amor e carinho. Levamos assim o nosso mais profundo desejo de que elas continuem sonhando e que, mais do que isso, acreditem que seus sonhos possam ser realizados”, diz Adriana Davanzo, líder do projeto e da área de responsabilidade corporativa da Cummins Vendas e Serviços.

Doação de sangue no inverno

Com a chegada do inverno e das férias escolares, o número de doadores de sangue cai muito no Brasil. O Estado de São Paulo, que é responsável por 25% do sangue coletado em todo o país, registra queda de 30% nas doações entre os meses de junho e julho, segundo dados da Secretaria de Saúde do Estado.

De olho nesses dados, a Willis, da área de consultoria de seguros, lançou uma campanha para estimular os colaboradores das mais de duas mil empresas clientes e seus próprios funcionários a doarem sangue. Na campanha Funcionário sangue bom, a Willis esclarece como proceder para que a doação seja segura não só para o doador, mas também para o paciente que vai recebê-la.

Bel, da FazInova: mudar a vida de alguém

Para esclarecer como a campanha poderia ser implantada nas empresas-clientes, a consultoria criou um material de identidade visual (infográfico), construído de forma que pudesse ser replicado pelos RHs dessas corporações.  O material foi enviado também para todos os funcionários da corretora e afixado nos murais de recados das unidades da Willis. A empresa ainda criou um banco de dados no qual seus funcionários podem se inscrever para serem acionados em campanhas de doação que ocorrem ao longo do ano.

“O brasileiro não tem o hábito de doar sangue e acaba fazendo esse ato apenas quando alguém próximo precisa. Nós, da Willis, acreditamos que incentivar e esclarecer as dúvidas sobre esse ato pode ajudar a salvar muitas vidas”, declara Walderez Fogarolli, diretora de gestão e promoção da saúde.

comentários