Planejamento para um futuro promissor

0
836

Os talentos da geração Y estão mais preocupados com suas carreiras do que profissionais que os antecederam no mercado de trabalho. É o que revela uma pesquisa recente conduzida pela Etalent, empresa de tecnologia especializada na gestão do comportamento, em parceria com a Catho sobre investimento na carreira com base em 5.294 respostas obtidas em um questionário on-line.

De acordo com o estudo, 73% dos entrevistados entre 18 e 25 anos consideram muito importante ter um plano de carreira. Já na faixa etária entre 26 e 35 anos esse número diminui para 66%; e apenas 52% dos entrevistados acima dos 36 anos consideram esse tipo de planejamento muito importante.

O levantamento revela ainda que 75% dos jovens preocupados com o plano de carreira já possuem em um. Entre os profissionais acima de 36 anos, essa proporção é menor: 66% dos entrevistados possuem esse planejamento.

Para Luis Testa, head de pesquisa e estratégia da Catho, projetar o futuro profissional já no início da carreira pode contribuir para potencializar as chances de sucesso e despertar mais cedo o sentimento de realização. “É importante que se estabeleça aonde se quer chegar com metas e, principalmente, um objetivo a ser alcançado. A falta desse norte faz com que os profissionais, principalmente os jovens, se percam no meio do caminho”, diz.

Para não se desgarrar desse caminho, Jorge Matos, presidente da Etalent, afirma que o profissional deve investir em formação. “Todas as pessoas que pensam em planejamento de carreira não podem deixar de lado todos os investimentos que fazem parte disso, entre eles cursos dos mais diversos moldes, palestras, leituras e conhecimento”, afirma.  Além disso, destaca Matos, o autoconhecimento é o início de toda e qualquer jornada para quem busca resultados eficientes e positivos..

+ Felicidade 
> O estudo também constatou que 55% das pessoas que afirmam possuir um plano de carreira sentem-se felizes ou muito felizes com suas vidas profissionais. Entre os profissionais que não têm um planejamento, apenas 33% se declaram profissionalmente felizes.

> Por outro lado, 38% dos entrevistados que não possuem um plano de carreira se declaram pouco ou nada felizes com sua vida profissional. Esse nível de insatisfação cai para 23% entre aqueles que contam com um plano de carreira estruturado

comentários