Sedução com critérios

0
361

Atrair e reter talentos tem sido uma tarefa cada vez mais desafiadora nas empresas. Seja pelas dúvidas na profissão, desalinhamento de expectativas ou falta de identificação com a organização, é comum perceber funcionários descontentes com o ambiente de trabalho, ou ainda, deixando o cargo após pouco tempo de vínculo.

Para reduzir o impacto dessa realidade, muitas empresas começaram a investir na sua imagem como “marca empregadora”. O conceito de employer branding consiste na conscientização, desenvolvimento e divulgação das práticas de relacionamento que uma empresa vivencia com seus funcionários. A relação se assemelha à conexão de marca e cliente, na qual o primeiro busca apresentar seus pontos positivos, e o segundo tem o interesse de ter suas necessidades atendidas. Ou seja, o trabalhador é visto como um cliente e embaixador da marca empregadora.

Como explica Alexandre Pellaes, líder de operações do 99jobs.com, comunidade de carreira para pessoas que buscam propósito e significado na relação de trabalho, o employer branding não é novidade no mercado de trabalho, porém ainda é motivo de dúvidas na hora de sair do papel. E isso não acontece só nas grandes empresas. Pensando nisso, ele preparou cinco dicas para empresas que pretendem adotar ou aprimorar essa prática:

1. Entenda o que sua empresa realmente oferece e incentiva
É essencial compreender o que sua empresa oferece para as pessoas que trabalham com você. Desde benefícios óbvios e mensuráveis (salário, vale-refeição, transporte, seguro etc.), até características mais subjetivas (flexibilidade, clima organizacional, boas risadas, aprendizado, liderança inspiradora, voz ativa, gestão compartilhada, participação nas decisões etc.). Os funcionários que já trabalham na empresa tendem a ter uma visão bastante realista da experiência de trabalhar lá. Garanta que colaboradores com alta performance e outros bastante críticos sejam ouvidos e estejam incluídos nesse levantamento.

2. Identifique do que o seu negócio precisa
Antes de criar diversas ações e atividades para employer branding de sua empresa, é preciso entender do que ela precisa, isto é, que tipo de conhecimento, perfil profissional e habilidades você gostaria de atrair.

3. Defina e entenda o seu grupo-alvo
Depois de identificar as lacunas, defina quais grupos merecem atenção e como eles podem ser atraídos. Mas, mais do que definir, é preciso compreender esses grupos e o que eles buscam: quais são seus anseios, expectativas, o que eles pensam das empresas, etc. Basicamente, é como se perguntar: o que minha empresa tem a oferecer para suprir as necessidades desse grupo?

4. Escolha o quê e como comunicar
Defina os pontos que você deseja expor. Pesquise e selecione meios de comunicação para se relacionar com o seu grupo-alvo. Esteja ciente de que os meios on-line são, hoje, um grande aliado para a exposição da sua marca e atrair candidatos. Os atributos da sua marca empregadora devem ser claros e representarão vantagens em relação a outras oportunidades de emprego que existam para o mesmo grupo. Não caia na tentação de parecer mais interessante do que você é. Seja transparente e verdadeiro, para atrair pessoas que poderão ser bem-sucedidas na sua organização.

5. Dê valor à sua empresa
Assim como toda marca espera que seus clientes acreditem em seus produtos, a empresa também oferece uma “promessa” e deve cumpri-la. Isso significa identificar seus valores, desenvolvê-los e abraçá-los nos bastidores.

comentários