Sem mancadas

    0
    515

    Especialista mostra os erros mais comuns quando o assunto é feedback

    Ninguém é tão completo a ponto de não precisar de aperfeiçoamento. Uma das características dos grandes realizadores é a capacidade de visualizar suas fraquezas e, assim, corrigi-las. Ao reconhecer a própria vulnerabilidade, um realizador não se sente rebaixado ou incompetente. Pelo contrário, contribui decisivamente para a obtenção de um resultado melhor, tanto para ele quanto para o ambiente corporativo. Saber transmitir a opinião sobre o desempenho alheio é um ponto-chave para qualquer profissional que possui a incumbência de liderar equipes, mas nem todos possuem facilidade em utilizar essa ferramenta. Muitos falham na hora de falar ou no momento de ser analisado. Veja a lista das cinco maiores “mancadas” do feedback e saiba se as falhas descritas se encaixam com alguma situação familiar.

    O feedback que saiu pela culatra
    Achar que o feedback serve para todos, exceto para você, é um dos maiores erros. Saber receber feedback é essencial. Trata-se de um exercício de humildade que vale a pena. Quem consegue aproveitá-lo obtém um grande meio de aprendizado, além de uma ótima fonte de correção de rumo. Ver a mesma situação por um ponto de vista novo faz uma grande diferença. Ao receber um feedback, tente deixar de lado seu ego – que pode estar um tanto quanto frágil nesse momento – e perceba que não é tão complicado admitir deficiências. Muita gente reage agressivamente, negando a validade do que está sendo dito ou passando ao contra-ataque, ou seja, apontando os erros de quem aplica o feedback. Essa nunca é a melhor saída. Um bom profissional sempre deve responder: “Obrigada, vou pensar sobre isso”. E realmente pensar depois.

    O feedback estereotipado
    Conhecido também como julgamento, leva o receptor a uma atitude defensiva, impossibilitando que o retorno seja o esperado. Quando o comunicador é avaliativo e não faz o relato objetivo de um evento, o feedback é entendido como pessoal e não causa o efeito que se espera dessa ferramenta. Ao dar um feedback, deixe de lado suas impressões pessoais e considere apenas a postura que a pessoa mantém dentro da empresa. Cuidado para não julgá-lo, afinal, isso leva a desmotivação.

    O feedback não-técnico
    Nada de aproveitar a oportunidade de “opinar” sobre outra pessoa para levar a conversa para o lado pessoal. Um feedback deve ser técnico, claro, oportuno e solicitado, e ser dirigido a comportamentos que o receptor possa, de fato, modificar. Caso contrário, corre-se o risco de aumentar ainda mais as frustrações e os ruídos da relação, caso existam.

    O feedback ignorado
    Pior do que reagir de forma agressiva a uma opinião alheia é fingir que nada lhe foi dito. Esse é o típico feedback ignorado, quando o receptor tem certeza de que nenhuma informação é importante e de que ninguém – nem o seu superior – é tão inteligente quanto ele. Qualquer profissional precisa receber avaliações objetivas para aprender constantemente e, com isso, expandir a zona de conhecimento. Além disso, as análises podem ser um alarme: quando recebidas de modo negativo, aliadas a resultados menos expressivos, é sinal de que algo precisa ser feito.

    O roubo do feedback
    Dentre todos os deslizes, esse pode ser considerado o mais injusto: o roubo das idéias, das opiniões. Acontece quando alguém põe em prática uma ação que foi designada a outra pessoa, na intenção de se destacar. No mercado de trabalho, quem apresenta os melhores resultados e conquista um lugar de destaque deve receber o mérito, mas quem conquista a posição por se fazer valer pelo “roubo” do feedback é, no mínimo, questionável.

    À medida que alguém expande sua visão do mundo, passa a esperar das pessoas o que elas podem oferecer e leva os outros a agir da mesma forma. Por isso, é importante para executivos, empresários, empreendedores e profissionais de qualquer área criar um ambiente de reflexão para que consigam absorver opiniões e pontos de vista enriquecedores. Em um ambiente assim, as respostas para as mais importantes perguntas estarão sempre no ar, basta captá-las. Não por acaso, feedback é um termo emprestado da eletrônica que significa retroalimentação, ou seja, manter algo funcionando com suas próprias forças.

    comentários