Seriedade e informalidade na medida certa

0
422

No Google, o clima é de descontração e de informalidade – até na hora do lanche

Basta visitar o escritório de São Paulo do Google para ter uma ideia de como é o ambiente de trabalho. Marcado pela informalidade e descontração, o local pode abrigar desde um funcionário de bermuda até outro indo para lá e para cá de patinete, passando por outros descansando em uma rede de dormir, ou apenas batendo papo sentados num dos pufes das áreas de descanso.

E é com esse clima que a empresa criada há 16 anos se tornou uma das marcas mais valiosas do mundo e receitas próximas a 66 bilhões de dólares no ano passado. Quer dizer, não apenas com isso; para esse sucesso, outros fatores contam – em especial as pessoas.

Na empresa, os funcionários, ou googlers como são chamados, contam com uma política especial de administração do tempo, especialmente voltada para os engenheiros e cientistas da computação. Essa política oferece as condições para que qualquer um possa ser um criador na próxima onda de inovação da tecnologia. Cada engenheiro pode dedicar 20% do seu tempo – o que na prática representa um dia da semana de trabalho – para desenvolver uma nova ideia ou bolar um projeto. A empresa dá todo o apoio, mas isso está longe de ser uma simples bondade: o Google necessita da criatividade e da genialidade de seus funcionários para inovar, surpreender, crescer e se superar a cada dia. E os cuidados com esse colaborador já começam desde o seu primeiro dia na companhia.

Seja na casa dele ou na primeira semana de trabalho, o novo funcionário, chamado internamente de noogler (new + googler), recebe um kit de boas-vindas. O kit é composto por camiseta, caderno, caneca, adesivos, meias, chaveiro, chinelos e canetas, tudo dentro de uma ecobag customizada. Além disso, ele recebe informações sobre todos os benefícios e uma autorização para gastar 100 reais com a decoração de sua baia da forma que desejar.

O primeiro dia do noogler é dedicado exclusivamente à sua integração, no qual ele visita as diversas áreas da empresa, como recursos humanos, financeiro e comunicação corporativa, entre outras. Depois, recebe treinamentos específicos: conhece as normas e procedimentos internos, os cuidados que deve ter com a segurança, a quem recorrer caso tenha algum problema, onde deve estacionar seu carro, como cuidar do crachá etc. Após isso, é a vez do detalhamento dos produtos da empresa, o mercado em que ela atua e as unidades de negócios. Ainda nesse primeiro dia, o noogler já tem o seu e-mail corporativo e recebe um notebook para trabalhar.

Além disso, o noogler conta com um “buddy” em seu primeiro dia, um googler experiente, selecionado para ser seu ponto de referência para qualquer assunto: instalações da empresa, trabalho, apresentação ao time, companhia para as refeições etc.

Desde 2014 os nooglers também participam de um happy hour especial com o presidente da empresa, Fabio Coelho. Trata-se de uma oportunidade para saber mais sobre a cultura da companhia e a história de seus líderes e de compartilharem suas experiências anteriores ao Google, além de tirar quaisquer dúvidas que possam ter nas primeiras semanas de casa.

Ações na entrada

Para reconhecer e recompensar o trabalho dos googlers, a empresa adota uma política salarial agressiva, como bônus, premiações, e-mails de reconhecimento, pequenos diplomas que são entregues e fixados pelos próprios funcionários em suas baias para que todos possam ver.

De acordo com o Google, sua política salarial está acima da média praticada pelo mercado. Aliás, a empresa tem como princípio pagar salários acima dessa média e, para que isso se concretize, faz revisões anuais.

No que se refere a bônus, a empresa possui um programa que tem algumas particularidades de acordo com cada área. Geralmente ele é pago anualmente, mas no caso de vendas isso é feito trimestralmente. O bônus é calculado com base num percentual do salário, que também varia de acordo com cada área. Além dessa bonificação, há outros dois tipos de bonus: o Peer Bonus e o Spot Bonus (veja box).

Além disso, todos os googlers são elegíveis ao plano de ações, as Google Stock Units  (GSUs). Não são stock options, mas sim ações da empresa mesmo. Já na contratação o funcionário recebe um lote de ações. Elas podem ser vendidas na proporção de 25% ao ano. Se o funcionário tiver bom desempenho, pode receber novos lotes anuais de ações, prêmio esse que é decidido pela liderança. Nosso próprio sistema já sinaliza para todos quem são aqueles que são os top performers do período.

Boas práticas 
â–º Link na intranet: se o novo funcionário tiver alguma dúvida no início de vida no Google, basta acessar um link na intranet da empresa onde estão todas as informações necessárias: produtos, facilities, assuntos de RH e orientações do que um noogler deve aprender no primeiro dia de trabalho, no segundo dia, na primeira semana e no primeiro mês.

â–º Peer Bonus: trata-se de um prêmio de 250 reais que é dado de uma forma democrática: funcionários podem oferecê-lo aos seus colegas como forma de reconhecimento por um trabalho bem feito, dedicação além do esperado ou outro motivo que se julgue merecedor.

â–º Spot Bonus: prêmio que geralmente varia de 550 reais a 36 mil reais. É um prêmio de reconhecimento que começa com a bola levantada pelo gerente. Ele observa a sua equipe e pode indicar um ou mais googlers que estão superando as expectativas e fazendo um trabalho excepcional, contribuindo decisivamente para o sucesso do negócio. O RH avalia se a indicação é pertinente ou não. Se a pessoa for merecedora, recebe o Spot Bonus em sua conta corrente.  

 


Criado em 1998, o Google vai além de um mecanismo de busca. Entre os produtos e serviços estão o YouTube, Waze, Chrome, Android, Google Translate, Google Maps e Google Earth, Google Books, Gmail, Google Docs, Google+, entre outros.

comentários