Sua empresa está preparada para um ataque hacker?

    0
    504

    Segurança de redes, roubo de dados de internet e de
    telefonia – o quão sua empresa está preparada?

    Por Robson Costa*

    Como se já não bastassem às preocupações com a crise econômica, o recente ataque hacker que roubou informações do mundo inteiro mostrou que diversas empresas não estão devidamente preparadas para a segurança da informação. O que, é claro, é muito preocupante. Em um cenário bem amplo, podemos dizer que um desconhecido tem acesso a todas as informações pessoais e da sua empresa, por mais sigilosas que elas precisem ser. Mas o que muita gente não sabe é que a própria telefonia pode ser refém desta situação.

    Quando uma empresa utiliza PABX IP, Centrais com placas de Voz sobre IP, ou o próprio serviço Voip em si, muitas vezes o propósito desta aquisição é contornar custos com ligações. Até aí, a busca por um cenário mais econômico é totalmente cabível e genuíno. Porém, ao focar somente no mais barato, o empresário não enxerga os malefícios: ao se espremer demasiadamente o valor dos fornecedores, se extraem muitos custos operacionais do serviço, beirando a irresponsabilidade na entrega do mesmo. Afinal, muita gente não sabe que seu consumo de minutos, seja ele pré pago, pós pago ou franqueado, pode ser utilizados por terceiros, caso sua central não esteja bem protegida. Ou seja, uma vez afetadas a internet e a telefonia, suas redes passam a estar comprometidas e totalmente expostas a ataques. Menosprezar os hackers ou ter um baixo investimento nas ferramentas de segurança, acreditando que se está economizando, pode custar caro, tanto com a utilização indevida e maliciosa de informações sigilosas, como com roubo de ligações.

    É preciso procurar uma empresa de serviços e produtos de confiança e também por profissionais cada vez mais qualificados neste tipo de armadilha para que possam proteger os equipamentos, os serviços e os dados da sua empresa. Primeiro, procure empresas que falem a respeito, mostrem o que fazem na área de segurança, mesmo que seja o mais básico. O importante é trazer o assunto para consciência, pois assim se traz também a responsabilidade da adequação: o cliente precisa ser orientado a respeito – na parte de dados isso é mais comum – da necessidade de um firewall, de uma administração de redes; enquanto o fornecedor precisa também orientar, indicar opções, se preparar e fazer sua parte.

    Segundo, os servidores de telefonia e internet precisam se comunicar entre si para que se consiga uma avaliação completa da invasão e evitar, há tempo, que todos os dados da empresa sejam comprometidos, pois quando se tem toda a comunicação focada em um único fornecedor (com o monitoramento adequado) a percepção e a dedicação dos profissionais são maiores e mais abrangentes no controle da segurança. E por fim, caso um ataque aconteça, e o cliente tiver um mantenedor com firewall, deve-se entrar em contato com o fornecedor urgentemente para que ele verifique o grau do prejuízo e bloquear a telefonia para evitar roubo ou extravio de ligações. Mas, convenhamos que ninguém quer chegar neste ponto e, para isso, é preciso saber aonde investir, com quem investir, e ter a certeza de que o seu dinheiro – por mais caro que o serviço possa parecer – está sendo bem aplicado na segurança e na “saúde” da sua empresa.

    *Robson Costa é CEO do Grupo Encanto Telecom

    comentários